sábado, 22 de novembro de 2008

Filme: Agosto Negro (Black August)


A curta vida do ativista condenado George Lester Jackson (Gary Dourdan, da série CSI) se torna o estopim para uma revolução, dando início a mais sangrenta rebelião ocorrida em toda a história do presídio de San Quentin. Agosto Negro narra a jornada espiritual e a violenta fé de Jackson, desde sua condenação por roubar 71 dólares de um posto de gasolina até galvanizar a Família Black Guerrilla com seu incendiário livro, criado a partir de cartas, Soledad Brother, ou espalhar ferocidade nos corredores de San Quentin em um dia de agosto, quando seu irmão mais novo, Jonathan, chocou o país ao fazer refém toda uma corte de justiça na Califórnia, em protesto pelo julgamento de Jackson. Para o militante George Jackson, a revolução não era uma escolha... Era uma necessidade.

Informações técnicas

Título no Brasil: Agosto Negro
Título Original: Black August
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 115 minutos
Ano de Lançamento: 2007
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Warner Home
Direção: Samm Styles

Disponibilizamos pelo Território Preto

Filme: Ray


Em 1932 Ray Charles (Jamie Foxx) nasce em Albany, uma pequena e pobre cidade do estado da Georgia. Ray fica cego aos 7 anos, logo após testemunhar a morte acidental de seu irmão mais novo. Inspirado por uma dedicada mãe independente, que insiste que ele deve fazer seu próprio caminho no mundo, Ray encontrou seu dom em um teclado de piano. Fazendo um circuito através do sudeste, ele ganha reputação. Sua fama explode mundialmente quando, pioneiramente, incorpora o gospel , country e jazz, gerando um estilo inimitável. Ao revolucionar o modo como as pessoas apreciam música, ele simultaneamente luta conta a segregação racial em casas noturnas que o lançaram como artista. Mas sua vida não está marcada só por conquistas, pois sua vida pessoal e profissional é afetada ao se tornar um viciado em heroína.

Título Original: Ray
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 153 minutos
Ano de Lançamento (EUA):
2004
Site Oficial: www.raymovie.com
Estúdio: Universal Pictures / Baldwin Entertainment / Crusader Entertainment LLC / Unchain My Heart Louisiana LLC / Anvil Films / Bristol Bay Productions
Distribuição: Universal Pictures / UIP
Direção: Taylor Hackford

Disponibilizamos pelo Território Preto.

Filme: Juntos Pela Vida (Life Support)


A HBO Films apresenta Queen Latifah (indicada ao Oscar® por Chicago) na empolgante história da jornada de uma mulher à beira da auto-destruição e do desespero, e sua inspiradora luta para reconquistar sua dignidade e sua família. Ana é uma portadora do vírus HIV, ex-drogada do Brooklyn, que luta desesperadamente contra seu passado e para acertar as coisas em sua vida. Para tanto, se envolve com um grupo de voluntários que dão suporte à pessoas como ela. Inspirado em fatos reais, Juntos Pela Vida é um conto tocante sobre amor, perda e perseverança.

Filme maravilhoso sobre a comunidade negra.

Informações técnicas

Título no Brasil: Juntos Pela Vida
Título Original: Life Support
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 87 minutos
Ano de Lançamento: 2007
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Warner Home

Território Preto disponibilizando

Filme: Perigo para sociedade


Este filme foi indicado para quase todos os prêmios internacionais, e em Cannes foi exibido na Noite dos Diretores. Os diretores chamados de "Hughes Brothers" são irmãos gêmeos, e têm muito para contar obre o submundo dos guetos americanos. A história de Caine não é singular: ele viu a violência desde cedo, através da vida e da morte de seus pais, e seus amigos matarem e serem mortos com brutalidade. A forma como os Hughes contam a história de Caine é que se tornou bastante singular. Perigo para a Sociedade foi aclamado pela crítica e pelo público. Um retrato brutal e ao mesmo tempo humano, consagrado pelo público da MTV a ganhador do prêmio Free Spirit.


Títulos Alternativos: Menace to Society
Gênero: Crime, Drama, Suspense
Duração: 97 min.
Tipo: Colorido
Palavras-Chaves: Filme independente, Número no título, Vômito, mais...
Produtora(s): New Line Cinema

Território Preto na disponibilização.

Filme: Alimento da alma


Vanessa L. Williams, Vivica A. Fox, Nia Long e Michael Beach estrelam este adorável sucesso com "interpretes fantásticos, sólidos valores de família e uma atmosfera acolhedora" (Janet Maslin, The New York Times)! O jantar de domingo na casa de Mother Joe (Irma P. Hall) é de dar água na boca, uma tradição que já dura 40 anos. Aos olhos de seu neto Ahmad (Brandon Hammond), amor e sorrisos sempre fazem parte do cardápio, apesar da costumeira rivalidade entre sua mãe Maxine e as irmãs dela, Teri e Bird. Mas quando brigas mais sérias começam a desagregar a família, os bons tempos repentinamente ficam esquecidos. Agora é a vez de Ahmad de reunir a todos e ensinar-lhes o verdadeiro significado de alimento da alma. Com uma trilha sonora que alcançou o primeiro lugar nas paradas, Tudo Aos Domingos é divertido, carinhoso e um ótimo programa. Um banquete para seu coração".

Filme excepcional sobre família preta.

Elenco e equipe técnica:

Vanessa L. Williams
Vivica A. Fox
Nia Long
Michael Beach
Mekhi Phifer
Brandon Hammond
Jeffrey D. Sams
Gina Ravera
Irma P. Hall
Carl Wright

Direção: George Tillman Jr.

Roteiro: George Tillman Jr.

Distribuição: Fox Video

Território Preto disponibilizando.

O Sol Tornará a Brilhar (A Raisin In The Sun)


Os sonhos podem fazer valer a pena viver, mas eles também podem ser estilhaçados por decisões erradas. Esta é a encruzilhada em que se encontra a família Younger quando seu pai morre e recebem US$10.000 do seguro de vida. Será que devem comprar uma casa nova para a família? Talvez uma loja? Ou pagar pela escola de medicina? Apesar da escolha ser difícil, a vida no lado sul de Chicago na década de 1950 é mais difícil ainda. Estrelando Sean Combs; Sanaa Lathan, indicada ao Prêmio Tony®; Audra McDonald, quatro vezes vencedora do Prêmio Tony®; Phylicia Rashad, vencedora do Prêmio Tony®, na adaptação para o cinema da peça teatral imortal de autoria de Lorraine Hansberry.

Um filme sobre família preta brilhante!

Informações Técnicas
Título no Brasil: O Sol Tornará a Brilhar
Título Original: A Raisin In The Sun
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 130 minutos
Ano de Lançamento: 2008
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Sony Pictures

Pelo Território Preto vocês podem adquirir.

Documentário: Abdias do Nascimento


Nascido na cidade paulista de Franca em 1914, Abdias Nascimento, apesar da família pobre consegue se formar em contabilidade no ano de 1929. No ano seguinte se muda para a capital do Estado, com apenas 15 anos de idade, momento em que começa a se engajar na luta contra o racismo, fato que o leva a participar da Frente Negra Brasileira, importante instituição na luta contra a discriminação sofrida pelos negros. Em 1938 organiza o Congresso Afro-Campineiro e em 1944 funda o Teatro Experimental do Negro. Também é um dos responsáveis pela criação de políticas públicas de reparação para os afrodescendentes, além de conseguir instituir o crime de discriminação racial.

Abdias Nascimento foi o primeiro deputado federal afro-brasileiro a dedicar seu mandato contra o racismo e como senador da República continua com sua luta.

Na próxima segunda-feira, 17 de março, haverá o lançamento do documentário sobre a trajetória do movimento negro no século 20 com destaque na história do escritor e professor Abdias Nascimento, filme com direção de Antônio Olavo. Na ocasião Abdias Nascimento receberá o título Doutor Honoris Causa pela UNEB. O evento acontece na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 19h30, somente para convidados.

Obras Publicadas:

O quilombismo, 2ª ed. Brasília/Rio de Janeiro: Fundação Cultural Palmares/ OR Produtor Editor, 2002

O Brasil na Mira do Pan-Africanismo. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais/Editora da Universidade Federal da Bahia EDUFBA, 2002

Orixás: os Deuses Vivos da África/ Orishas: the Living Gods of Africa in Brazil. Rio de Janeiro/ Philadelphia: Intituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros/ Temple University Press, 1995.

A Luta Afro-Brasileira do Senado. Brasília: Senado Federal, 1991.

Povo Negro: A sucessão e a “Nova República”. Rio de Janeiro: Ipeafro, 1985.

Jornada Negro-Libertária. Rio de Janeiro: Ipeafro, 1984.

Axés do Sangue e da Esperança: Orikis. Rio de Janeiro: Achiamé e RioArte, 1983. (Poesia.)

Sitiado em Lagos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

Sortilégio II: Ministério Negro de Zumbi Redivivo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. (Peça de teatro.)

O Genocídio do Negro Brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

Sortilégio (mistério negro). Rio de Janeiro: Teatro Experimental do Negro, 1959. (Peça de teatro.)

Filme: Os Soldados Búfalos (Buffalo Soldiers)


No difícil e selvagem período da colonização norte-americana, um regimento da Cavalaria cai na cilada armada por duas facções de terriveis guerreiros indígenas. Aprisionados e humihados, os soldados terão que mostrar toda a sua bravura, coragem e determinação, se quiserem sair vivos desta emboscada. Mais que os próprios índios, eles terão qe vencer também o preconceito, já que o líder da tropa, Sargento Washington,é um ex-escravo negro. Baseado num episódio histórico e real, o filme foi produzido e estrelado por Danny Glover (Maquina Mortífera).

Título no Brasil: Os Soldados Búfalos
Título Original: Buffalo Soldiers
País de Origem: EUA
Gênero: Ação
Tempo de Duração: 95 minutos
Ano de Lançamento: 1997
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Europa Filmes

Território Preto está disponibilizando.

Filme: Sem Perdão (Bullet Boy)


Ricky (Ashley Walters) é um adolescente da classe pobre da Inglaterra que mora com a mãe e o irmão de 12 anos. Toda vizinhança faz parte de gangues que vivem envolvidas em episódios de violência e drogas. Apesar de namorar Shea (Sharea-Mounira Samuels) e ter sua família estruturada, isso não o deixa longe de problemas, o que o levam à prisão por algum tempo. Ao ser solto, sua família espera que Ricky abandone a vida de criminoso e tome um rumo certo, só que as más influências não o deixam em paz. Ricky vive um dilema, no qual qualquer possibilidade de escolha o deixará insatisfeito.

Título no Brasil: Bullet Boy: Sem Perdão
Título Original: Bullet Boy
País de Origem: Inglaterra
Gênero: Ação
Tempo de Duração: 89 minutos
Ano de Lançamento: 2004
Site Oficial: http://www.bulletboy.net
Estúdio/Distrib.: Universal Pictures

Disponibilizamos pelo Território Preto.

Filme: Ali


Cassius Clay (Will Smith) era um grande lutador nos ringues de boxe e uma pessoa inteligente fora deles, onde impressionava pelo seu fácil palavreado. Ele logo se tornou uma das principais personalidades do esporte mundial nos anos 60, principalmente após se converter ao islamismo, trocar seu nome para Muhammad Ali e se recusar a lutar na Guerra do Vietnã.

Título no Brasil: Ali
Título Original: Ali
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 167 minutos
Ano de Lançamento: 2001
Site Oficial: http://www.spe.sony.com/movies/ali/
Estúdio/Distrib.: Columbia Pictures Corporation / Forward Pass / Initial Entertainment Group / Overbook Entertainment / Peters Entertainment / Picture Entertainment Corporation

Território Preto disponibilizando.

domingo, 16 de novembro de 2008

A mídia reforçando a miscigenação racial através da cinematografia


Os filmes sobre racismo que são transmitidos pela mídia brasileira são tendenciosos. Geralmente, os canais de televisão quando transmitem filmes sobre a temática racial, apelam para o lado sentimental das relações inter-raciais, ou seja, incentivam a relação de dependência afetiva dos negros pelos brancos. Os filmes, que tem um papel fundamental na educação das pessoas, influenciado na maneira como as pessoas percebem o mundo e as relações inter-pessoais e inter-grupais, são escolhidos conforme os interesses dos "poderosos" da mídia nacional, fundamentados e orientados pelo mito da "democracia racial", para defender os objetivos deles (a elite branca) de incentivar de uma forma mais intensa a mistura racial.

Os filmes sobre racismo que são transmitidos pela rede de canal aberto no Brasil são perigosos porque objetivam injentar na polução preta um percepção limitada sobre o que é o racismo. Tentam reforçar a construção criada pelos brancos brasileiros de que o racismo é uma questão meramente sentimental, ou, quando não, de que o racismo passa essencialmente pelo vies sentimental. Estes filmes, que projetam uma solução erronêa para superação dos problemas inflingidos pelo racismo, abordam a aceitação do preto pelo branco como uma forma de combate a discriminação racial. Ou seja, os filmes transmitidos pelos canais de televisão são de tendência integracionista, não possbilitando a percepção por nossa gente de uma alternativa de vida mas condizente com nossas necessidades.

Distante de tentar conscientizar a comunidade branca de que ela deve reparar a comunidade negra pelos danos históricos por ela cometidos, e distante também de tentar injentar no povo preto no Brasil um amor-próprio e um orgulho próprio sobre si e sobre sua história coletiva de luta e resistência, os filmes se tornaram, assim como vários programas da tv brasileira, como uma "arma de destruição em massa" do seres de origem africana que aqui estão estabelecidos. Os filmes, assim como as novelas e programas de auditório, se tornaram a mais nova arma da elite branca do Brasil para criar no imaginário e inconsciente das pessoas negras o desejo sentimental de interação com os brancos para amenizar as dores do racismo. O interesse que está por dentro disso é, na verdade, dar continuidade a histórica política branca de extermínio da população negra através da miscigenação entre negros e brancos.

O Território Preto, objetivando dar visibilidade a filmes revolucionário e reacionários sobre a temática racial, está dando dicas de filmes e disponibilizando alguns deles para aquisição. Ao contrário de filmes como " No balanço do amor" e "Em minha terra", que incentivam os negros a dependerem e ser subserviente aos brancos, estamos dando visibilidade a filmes que abordem a trajetória de luta e de reconstrução da comunidade negra em direção a sua autonomia e autodeterminação racial. Estamos ajudando a dar visibilidade a cinematografia negra, do Brasil e do estrangeiro, contestadora do supremacismo branco e reacionária ao mesmo.

O Território Preto é um espaço virtual que se origina da consciência pan-africana revolucionária. É um espaço que, além de fazer um tributo ao Poder Negro, objetiva dar referências positivas, através das dicas de filmes, aqueles pretos e pretas que utilizam / utilizarão este espaço. Por fim, não nego que no Território Preto existe dicas de filmes de conteúdo que prejudica a real percepção da nossa história, como o "Hotel Huanda" e outros. No entanto, até nestes filmes ruins, um bom observador e conhecedor da verdadeira história negra, deve tirar as coisas que são positivas para a reconstrução da nossa comunidade.

Acima, do lado direito, imagem da capa do filme de Spike Lee sobre a vida do ativista negro Huey P. Newton, um dos maiores expoentes do grupo revolucionário Panteras Negras.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Filme: "Todos à bordo" - "Get on the bus"


Um dos maiores filmes sobre o orgulho racial negro, "Todos à bordo" é um filme humanitário, dotado de ensinamentos morais e espirituais para elevação da raça negra. A idéia central do filme é chamar à atenção da comunidade negra para auto-superação de alguns problemas que a aflinge e que estão ao seu alcance de resolução. Inspirado pelo contexto da "Marcha de 1 milhãos de homens negros", este filme é vibrante, e merece um lugar de destaque na história da cinematografia negra contemporânea.


Diretor(es): Spike Lee
Roteirista(s): Reggie Rock Bythewood
Elenco: Richard Belzer, De'aundre Bonds, Andre Braugher, Thomas Jefferson Byrd, Gabriel Casseus, Albert Hall, Hill Harper, Harry Lennix¹, Bernie Mac, Wendell Pierce, Roger Guenveur Smith, Isaiah Washington (1), Steve White (1), Ossie Davis, Charles S. Dutton

Disponibilizamos pelo Território Preto.

Filme: "Em defesa da honra"


Um dos capítulos mais importantes da história americana e ponto focal do movimento dos direitos civis. Uma incrível e corajosa história. Um tributo aos homens que ousaram lutar para mudar o mundo. Os afro-americanos de Bogalusa, na Louisiana, ainda são tratados como cidadãos de 3a categoria, seus direitos básicos como seres humanos insistentemente esmagados pela estrutura do poder branco e particularmente pela organização local Ku Klux Klan. Como muitos homens negros da vizinhança, o veterano de guerra Marcus trabalha em uma fábrica local por um mísero salário e ainda tem que suportar as constantes humilhações de seus supervisores brancos. Mas sua paciência passa dos limites quando é espancado pela polícia por querer defender sua própria filha. Icentivado por um homem branco do Norte, Marcus organiza "Os Deacons", um grupo de defesa composto de homens negros. Seus objetivos eram patrulhar o setor negro da cidade e proteger seus habitantes das reações violentas dos brancos.

Informações Técnicas
Título no Brasil: Em Defesa da Honra
Título Original: Deacons for Defense
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 93 minutos
Ano de Lançamento: 2003
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Flashstar
Direção: Bill Duke

Disponibilizamos pelo Território Preto.

Filme: " Bopha - À flor da pele"


Micah Mangena está sentado num barril de pólvora e nem imagina. Ele é sargento da polícia na África do Sul, um inquestionável suporte dos poderes estabelecidos. Mas o conflito que está desestruturando a África do Sul de 1980, está a ponto de despedaçar violentamente o próprio mundo de Micah. Seu filho está percebendo que o apartheid é cruel... e que Micah é parte desse sistema. Danny Glover, Malcolm McDowelI, Alfre Woodard e Marius Weyers encabeçam o excepcional elenco de BOPHA!, a marcante estréia de Morgan Freeman na direção. 'Bopha' é uma palavra da língua Zulu que significa 'prender' ou 'deter'. Para o regime opressor, é um ato de fortalecimento. Para a crescente multidão de ativistas, é um enfurecido grito de protesto, o grito cujo poderoso impacto é sentido até hoje.

Ficha técnica:

Bopha!
1993
Morgan Freeman
Drama
Comentários Do Diretor Morgan Freeman E Dos Atores Danny Glover E Alfre Woodard
Wide Screen
Dolby Digital 5.1/Dolby Digital 2.0

Território Preto disponibilizando.

Filme: "Faça a coisa certa"


Sal (Danny Aiello), um ítalo-americano, é dono de uma pizzaria em Bedford-Stuyvesant, Brooklyn, (lá também há um armazém cujos donos são coreanos). Com predominância de negros e latinos, é uma das áreas mais pobres de Nova York. Sal é um cara boa praça, que comanda a pizzaria juntamente com Vito (Richard Edson) e Pino (John Turturro), seus filhos, além de ser ajudado por Mookie (Spike Lee), um funcionário. Sal cultua decorar seu estabelecimento com fotografias de ídolos ítalo-americanos dos esportes e do cinema, o que desagrada sua freguesia. No dia mais quente do ano, Buggin' Out (Giancarlo Esposito), o ativista local, vai até lá para comer uma fatia de pizza e se desentende com Sal por não existirem negros na "Parede da Fama" dele. Sal retruca dizendo que esta parede é só para ítalo-americanos e se Buggin' Out quer ver fotos dos "irmãos" que abra sua própria pizzaria. Notando que não vê nenhum italiano para proteger Sal, Buggin passa o resto do dia tentando organizar um boicote contra a pizzaria. Este incidente trivial é o ponto de partida para um efeito dominó, que vai gerar vários problemas. Um desentendimento com Mookie o leva a enfrentar uma série de mal-entendidos, que resultam em pancadaria. A polícia chega ao local e acaba matando um dos fregueses, transformando a confusão em tragédia.

Informações Técnicas
Título no Brasil: Faça a Coisa Certa
Título Original: Do the Right Thing
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 120 minutos
Ano de Lançamento: 1989
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.:
Direção: Spike Lee

Território Preto também disponibiliza este filme.

Filme: "Panteras Negras"


Oakland, Califórnia, 1967. Huey Newton (Marcus Chong) e Bobby Seale (Courtney B. Vance) são amigos, que formam um novo partido dedicado em proteger os negros das violentas arbitrariedades dos policiais brancos. O Partido dos Panteras Negras de Autodefesa dá almoço grátis para as crianças, educa a comunidade afro-americana em se conscientizar dos seus direitos, faz o que pode para tirar das ruas os traficantes de drogas e enfrenta a polícia de Oakland (que é extremamente racista) quando desrespeita os direitos civis dos negros. O partido faz tudo isto sem transgredir alguma lei. Logo brancos conservadores começam se sentir incomodados e planejam se livrar desta "ameaça", mesmo que tenham de desrespeitar a lei.

Ficha Técnica
Título Original: Panther
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 123 minutos
Ano de Lançamento (EUA):
1995
Estúdio: Gramercy Pictures / Tribeca Productions / Working Title Films / MVPFilms / Polygram Filmed Entertainment
Distribuição: Gramercy Pictures
Direção: Mario Van Peebles
Roteiro: Melvin Van Peebles, baseado em livro de Melvin Van Peebles
Produção: Preston L. Holmes, Mario Van Peebles, Melvin Van Peebles e Robert De Niro
Música: Stanley Clarke
Fotografia: Edward J. Pei
Desenho de Produção: Richard Hoover
Direção de Arte: Bruce Robert Hill e Carol Lavoie
Figurino: Paul Simmons
Edição: Earl Watson

Território Preto disponibilizando.

Filme: "Bem amada"


OPRAH WINFREY (A Cor Púrpura) e DANNY GLOVER (Máquina Mortífera IV) estrelam este triunfo cinematográfico, aclamado pela crítica, dirigido pelo vencedor do Oscar® JONATHAN DEMME. Em uma terrível jornada para encontrar a liberdade, Sethe (WINFREY) é constantemente afrontada por segredos que a assustam durante anos até que Paul (GLOVER), um amigo do passado, inesperadamente entra novamente em sua vida. Com sua ajuda, Sethe pode realmente descobrir quem ela é e reconquistar a esperança perdida há muito tempo. Também apresentando as espetaculares performances de THANDIE NEWTON (Missão Impossível II) e LISA GAY HAMILTON, você vai concordar com todos os críticos que aclamaram esta maravilhosa adaptação do romance de Toni Morrison, vencedor do Prêmio Pulitzer, como o melhor filme do ano.

Ficha técnica
Título Original: Beloved
Título em Português: Bem Amada
Lançamento: Outubro -2004
País de Origem: E.U.A
Ano de Produção: 1998
Estúdio: Touchstone
Tempo de Duração: 171 min.aprox.
Gênero: Drama
Classificação Etária: 14 anos
Elenco: Danny Glover; Oprah Winfrey
Direção: Jonathan Demme

Disponibilizamos pelo Território Preto.

Filme: " A cor púrpura"


Georgia, 1909. Em uma pequena cidade Celie (Whoopi Goldberg), uma jovem com apenas 14 anos que foi violentada pelo pai, se torna mãe de duas crianças. Além de perder a capacidade de procriar, Celie imediatamente é separada dos filhos e da única pessoa no mundo que a ama, sua irmã, e é doada a "Mister" (Danny Glover), que a trata simultaneamente como escrava e companheira. Grande parte da brutalidade de Mister provêm por alimentar uma forte paixão por Shug Avery (Margaret Avery), uma sensual cantora de blues. Celie fica muito solitária e compartilha sua tristeza em cartas (a única forma de manter a sanidade em um mundo onde poucos a ouvem), primeiramente com Deus e depois com a irmã Nettie (Akosua Busia), missionária na África. Mas quando Shug, aliada à forte Sofia (Oprah Winfrey), esposa de Harpo (Willard E. Pugh), filho de Mister, entram na sua vida, Celie revela seu espírito brilhante, ganhando consciência do seu valor e das possibilidades que o mundo lhe oferece.

Ficha Técnica
Título Original: The Color Purple
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 156 minutos
Ano de Lançamento (EUA):
1985
Estúdio: Warner Bros. / Amblin Entertainment / Guber-Peters Company
Distribuição: Warner Bros.
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Menno Meyjes, baseado em livro de Alice Walker
Produção: Quincy Jones, Kathleen Kennedy, Frank Marshall e Steven Spielberg
Música: Quincy Jones
Fotografia: Allen Daviau
Desenho de Produção: J. Michael Riva
Direção de Arte: Bo Welch
Figurino: Aggie Guerard Rodgers
Edição: Michael Kahn

Território Preto na comunlização dos filmes.

Filme: "Talk to me"


A história real de Ralph "Petey" Greene, ex-presidiário negro que se tornou um famoso apresentador de rádio na capital americana, Washington. Greene virou uma celebridade ao embalar os ouvintes com canções de soul music, mas principalmente por falar exatamente aquilo que a comunidade queria ouvir sobre direitos civis e conscientização negra. Eram os anos de 1960, e Greene passou a ser visto como personalidade e um dos mais importantes ativistas.

Gênero: Biografia, Drama
Duração: 118 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido

Produtora(s): Sidney Kimmel Entertainment, Mark Gordon Productions, Pelagius Films, The Mark Gordon Company

Territóri Preto disponibiliza.

Filme: "Ressureição"


Na desesperada tentativa de mudar e melhorar sua vida, Loretta Sinciar (Woodard), uma problemática mãe solteira que vive no subúrbio de Chicago, decide passar o verão na casa de seus ancestrais, no interior do Mississipi. No "delta" do título original, ela finalmente enxerga uma forma de cuidar bem de sua filha e de recuperar sua vida em fragalhos, sempre com a ajuda do tio Earl. Este é o único longametragem dirigido pela atriz e escritora afro-americana Maya Angelou, de 75 anos.


Ano de Lançamento: 2004

Atores/Artistas: Alfre Woodard, Wesley Snipes

País/Ano de Produção: EUA - 2003
Duração: 108 Minutos
Faixa Etária: 12 Anos
Idiomas: Inglês e Português
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legendas: Inglês, Espanhol e Português
Formato da Tela: Fullscreen

Território Preto disponibilizando

Filme: "O grande debate"


Denzel Washington (de “Déjà Vu” e “O Dossiê Pelicano”) é o diretor e o ator principal do filme, produzido pela popular apresentadora norte-americana Oprah Winfrey (que emprestou sua voz para “Bee Movie” e “A Menina e o Porquinho”) e baseado em fatos reais. O personagem de Denzel Washington, Mel Tolson, é um professor que vive no Texas na década de 1930 e monta um grupo de debate com seus alunos universitários. O longa, com roteiro de Robert Eisele, foi baseado na história real de Melvin B. Tolson (Washington), professor de uma pequena universidade voltada para negros no Texas no ano de 1935. Tolson conseguiu formar um time de debate, e, com muito esforço e enfrentando o racismo, os alunos foram capazes de superar os garotos da renomada Havard em uma competição nacional. O ator Forest Whitaker (de “O Quarto do Pânico” e vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2006 por seu papel em “O Último Rei Da Escócia”) interpretará o pai de um dos debatedores e rival do professor. O lançamento do filme contou com a presença do ator Samuel L. Jackson (”Serpentes a Bordo”), que compareceu acompanhado de sua mulher, LaTanya. Denzel Washington e Pauletta, sua mulher, posaram para fotos junto com o casal de amigos no tapete vermelho.

Gênero: Drama
Duração: 123 min
Origem: EUA
Estúdio: Weinstein Co.
Direção: Denzel Washington

Território Preto disponibilizando também este filme.

Filme: "Kiriku e os animais selvagens"


Na África Ocidental, nasce um menino minúsculo, cujo tamanho não alcança nem o joelho de um adulto. Mas ele tem um destino: enfrentar a poderosa e malvada feiticeira Karabá, que secou a fonte d'água da aldeia de Kiriku, engoliu todos os homens que foram enfrentá-la e ainda pegou todo o ouro que tinham. Para isso, Kiriku enfrenta muitos perigos e se aventura por lugares onde somente pessoas pequeninas poderiam entrar.

» Direção: Bénédicte Galup, Michel Ocelot
» Roteiro: Bénédicte Galup, Philippe Andrieux, Marie Locatelli, Michel Ocelot
» Gênero: Animação
» Origem: França
» Duração: 75 minutos
» Tipo: Longa

Disponibilizamos também.

Filme: "Kirikú e a feitiçeira"


Kiriku é um garoto pequeno, mas muito inteligente e com dons especiais, que nasceu com a missão de salvar sua aldeia. A cruel feiticeira Karaba secou a fonte do lugar onde Kiriku mora com amigos e parentes e, possivelmente, comeu o pai e os tios do menino. Encontrando amigos e seres fantásticos pelo caminho, Kiriku vai resolver a situação. História baseada em uma lenda da África Ocidental.

Título no Brasil: Kiriku e a Feiticeira
Título Original: Kirikou et la sorcière
País de Origem: França / Bélgica / Luxemburgo
Gênero: Animação
Classificação etária: Livre
Tempo de Duração: 71 minutos
Ano de Lançamento: 1998
Site Oficial: http://www.kirikou.net
Estúdio/Distrib.: Espaço Filmes e Imovision
Direção: Michel Ocelot

Disponibilizamos esta raridade também.

Filme: "Em nome da honra"


Os tempos são difíceis para os negros da África do Sul, mas Patrick Chamusso tem a sua casa, sua família, e um bom emprego na refinaria de óleo de Secunda. Ele não quer tomar partido no movimento anti-Apartheid, preferindo ao invés disto, levar uma vida comum. Patrick está ausente do trabalho quando terroristas tentam explodir a refinaria. Ele tirou o dia de folga para assistir o time de futebol que ele treina jogar na final, e para visitar secretamente o filho que tem com sua ex-namorada. Nic Vos, um policial branco que tenta manter a ordem em situações voláteis, prende Patrick e dois trabalhadores negros.

» Direção: Phillip Noyce
» Roteiro: Shawn Slovo
» Gênero: Drama/Histórico/Suspense
» Origem: África do Sul/Estados Unidos/França/Reino Unido
» Duração: 110 minutos
» Tipo: Longa

Território Preto disponibilizando este também.

Filme: "Shaft"


John Shaft (Samuel L. Jackson) é um policial que precisa lutar contra o racismo e o tráfico de drogas em uma comunidade local. Quando um conhecido líder da comunidade negra é assassinado por um racista filho de um rico e poderoso empresário, Shaft começa a investigar o caso e busca de todas as maneiras conseguir provas que o incriminem e o condenem perante a Justiça.

Informações Técnicas
Título no Brasil: Shaft
Título Original: Shaft
País de Origem: EUA
Gênero: Policial
Tempo de Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento: 2000
Site Oficial: http://www.shaft-themovie.com
Estúdio/Distrib.: Paramount Pictures / Scott Rudin Productions / New Deal Productions
Direção: John Singleton

Disponibilizamos também.

Filme: "Os Donos da Rua (Boyz'n the Hood)"


Em 1984, no South Central, bairro de maioria negra de Los Angeles, Reva Devereaux (Angela Bassett), a mãe de Tre Styles (Cuba Gooding Jr.), conclui que não tem condições de criar o filho pelo fato dele ser rebelde, apesar de ser bem inteligente. Reva decide então entregá-lo aos cuidados do pai, Furious Styles (Laurence Fishburne), que passa ao filho valores éticos e morais em uma região marcada pelo pobreza e violência. Após sete anos Tre faz dois grandes amigos: Ricky Baker (Morris Chestnut) e Doughboy (Ice Cube), mas cada um dos três tem objetivos bem diversos na vida.

Informações Técnicas
Título no Brasil: Os Donos da Rua
Título Original: Boyz'n the Hood
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 107 minutos
Ano de Lançamento: 1991
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.:
Direção: John Singleton

Território Preto disponibiliza também.

Fime: "Separados mas iguais"


Separados mas iguais” “Separate but Equal”,c om fatos de 1951, é um drama em Kansas/ USA. Direção de George Stevens Jr. procede de história verídica na história dos Direitos Humanos.
A direção de uma Escola foi processada por não receber uma aluna negra, razão do Tribunal Federal deliberou contra Brown, o pai da criança, afirmando que as “Escolas eram praticamente iguais.”Devido à conclusão do Tribunal de Delaware, para outro caso, ordenado na 14ª Emenda à Constituição pela “Igual Proteção da Lei "separados, mas iguais” não haveria mais na Área da Educação.

Elenco e equipe técnica:

Sidney Poitier
Burt Lancaster
Richard Kiley

Direção: George Stevens Jr

Distribuição: Paris

Território Preto disponibiliza cópia tirada de Vhs


Filme: " Sarafina - O som da liberdade"


Na África do Sul, extraordinária professora ensina seus jovens alunos negros a lutarem por seus direitos. Para uma aluna em especial, essas lições serão um rito de iniciação na vida adulta na forma de uma brutal tomada de consciência a respeito da realidade que a cerca. Baseado na peça de Mbongeni Ngema.

Filme: SARAFINA
Titulo Original: Sarafina
País: EUA
Gênero: Drama
Diretor: DARRELL JAMES ROODT
Elenco: WHOOPI GOLDBERG, LELETI KHUMALO, MIRIAM MAKEBA
Ano: 1993
Duração: 98 min

Território Preto disponibiliza cópia tirada de Vhs

Filme: "Malcolm X"


Biografia do famoso líder afro-americano (Denzel Washington) que teve o pai, um pastor, assassinado pela Klu Klux Klan e sua mãe internada por insanidade. Ele foi um malandro de rua e enquanto esteve preso descobriu o islamismo. Malcolm faz sua conversão religiosa como um discípulo messiânico de Elijah Mohammed (Al Freeman Jr.). Ele se torna um fervoroso orador do movimento e se casa com Betty Shabazz (Angela Bassett). Malcolm X ora uma doutrina de ódio contra o homem branco até que, anos mais tarde, quando fez uma peregrinação à Meca abranda suas convicções. Foi nesta época que se converteu ao original islamismo e se tornou um "Sunni Muslim", mudando o nome para El-Hajj Malik Al-Shabazz, mas o esforço de quebrar o rígido dogma da Nação Islã teve trágicos resultados.

Ficha Técnica
Título Original: Malcolm X
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 192 minutos
Ano de Lançamento (EUA):
1992
Estúdio: 40 Acres & a Mule Filmworks / JVC Entertainment / Largo International N.V.
Distribuição: Warner Bros. / UIP
Direção: Spike Lee
Roteiro: Arnold Perl e Spike Lee, baseado em livro de Malcolm X e Alex Haley
Produção: Spike Lee e Marvin Worth
Música: Terence Blanchard
Fotografia: Ernest R. Dickerson
Desenho de Produção: Wynn Thomas
Direção de Arte: Tom Warren
Figurino: Ruth E. Carter
Edição: Barry Alexandre Brown

Território Preto disponibiliza esta peróla também.

Seriado: "Raízes - A saga de Kunta Kinte"



Este é um seriado que passou no Brasil a muitos anos. Antigas gerações de militantes do movimento negro já assistiram esse que é um dos maiores clássicos da cinematografia negra. O seriado "Raízes", baseado no livro "Raízes" de Alex Haley, fala da saga do personagem principal Kunta Kinte, um africano escravizado pelos brancos, que expirimentou os horrores do sequestro de sua terra natal, a travessia atlântica pelo "navio negreiro" e a vida escrava nos Estados Unidos. Um seriado que mostra de uma maneira aprofundada o sofrimento negro de geração à geração.

O Território Preto disponibiliza este raro seriado dublado para você.

Documentário: "A negação do Brasil"


O documentário é uma viagem na história da telenovela no Brasil e particularmente uma análise do papel nelas atribuído aos atores negros, que sempre representam personagens mais estereotipados e negativos. Baseado em suas memórias e em fortes evidências de pesquisas, o diretor aponta as influências das telenovelas nos processos de identidade étnica dos afro-brasileiros e faz um manifesto pela incorporação positiva do negro nas imagens televisivas do país.

Informações Técnicas
Título no Brasil: A Negação do Brasil
Título Original: A Negação do Brasil
País de Origem: Brasil
Gênero: Documentário
Classificação etária: 12 anos
Tempo de Duração: 90 minutos
Ano de Lançamento: 2000
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.:
Direção: Joel Zito Araújo

Filme: "Filhas do vento"


Cida (Ruth de Souza) e a irmã Jú (Léa Garcia) estão separadas por quase 45 anos. O tempo não conseguiu dissipar o rancor provocado pelo incidente amoroso e familiar que marcou a juventude e a vida das duas. Com a morte do pai, Zé das Bicicletas (Milton Gonçalves), que havia expulsado Cida de casa, as duas voltam a se encontrar. Cida tornou-se uma mulher solitária. Fez carreira de atriz atuando em cinema e em telenovela, mas, apesar do talento, não teve o reconhecimento merecido. Maria D’Ajuda nunca saiu do interior, cuidou do pai até a morte. Parece ter nascido para amar e cuidar dos outros, mas nunca conseguiu desenvolver nenhuma identidade profissional – o inverso da irmã atriz. Casou-se uma vez e depois teve vários filhos de companheiros diferentes. Sua família é uma típica família brasileira do interior, cheia de filhos, sobrinhos, netos e agregados. No entanto, uma de suas filhas, Dorinha (Danielle Ornellas), a que mais admira pela persistência profissional e talento artístico, é a única que despreza o amor da mãe.

Informações Técnicas
Título no Brasil: Filhas do Vento
Título Original: Filhas do Vento
País de Origem: Brasil
Gênero: Drama
Classificação etária: 14 anos
Tempo de Duração: 85 minutos
Ano de Lançamento: 2005
Estréia no Brasil: 16/09/2005
Site Oficial:
Estúdio/Distrib.: Riofilmes
Direção: Joel Zito Araújo / Joel Zito Viana

Elenco
Taís Araújo
Jonas Bloch
Zózimo Bulbul
Maria Ceiça
Thalma de Freitas
Ruth de Souza
Mônica Freitas
Léa Garcia
Milton Gonçalves
Kadu Karneiro
Danielle Ornelas
Rocco Pitanga


Filme: " Voltando a viver"


Antwone Fisher (Derek Luke, do ótimo "Encontrando Forrester") é um jovem e problemático marinheiro. De temperamento explosivo, parte freqüentemente para agressões a companheiros quando provocado. Por esse motivo acaba sendo enviado para tratamento com um psicólogo da marinha, Jerome Davenport (Denzel Washington).

A princípio, Fisher se mostra relutante em aceitar qualquer apoio por parte do terapeuta. Com o passar de alguns encontros, onde ficava durante todo o tempo calado, recusando-se a dar qualquer informação que pudesse ser analisada e estudada por Davenport, o jovem percebe que só poderá se livrar daquelas inconvenientes consultas caso se disponha a contribuir com o trabalho do psicólogo.

Não existe até esse momento a intenção de auxiliar a si mesmo por parte de Fisher. O tratamento lhe parece totalmente dispensável e inoportuno. Ao se decidir por falar e contar sua história de vida para o tenente Davenport, ele queria apenas se ver livre daquele compromisso.

A partir do momento em que o diálogo entre os dois passa a fluir, começamos a rastrear na infância os motivos de todo o rancor de Fisher. Davenport deixa de ser visto como apenas um psicólogo no exercício de sua função profissional e passa a ser encarado por seu paciente como conselheiro e autêntico pai.

A superação dos problemas, muito delicados, passa por etapas difíceis e somente o apoio, a consideração e a perseverança de Davenport podem vencer as resistências criadas pelo próprio Fisher a sua felicidade. Filme sensível, que comove as platéias sem apelar para sentimentalismos, "Voltando a Viver" chama a atenção para a necessidade de suporte, consideração e carinho pedidos diariamente a todos nós, de diferentes formas, por nossos alunos, pacientes, filhos,...

Título no Brasil: Voltando a Viver - Antwone Fisher
Título Original: Antwone Fisher
País de Origem: EUA
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 113 minutos
Ano de Lançamento: 2002
Site Oficial: http://www.foxsearchlight.com/antwo nefisher/
Estúdio/Distrib.: MDP Worldwide / Antwone Fisher Productions / Hofflund/Polone / Mundy Lane Entertainment
Direção: Denzel Washington

Terrirório Preto disponibiliza.

Filme: "Geração roubada"


História real de Molly Craig, jovem negra australiana de 14 anos que, em 1931, com sua irmã Daisy, de 10 anos, e sua prima Gracie, de 8 anos, foge de um campo do governo britânico da Austrália, criado para treinar mulheres aborígines para serem empregadas domésticas. Molly guia as meninas por quase três mil quilômetros através do interior do país, em busca da cerca que o divide e que a permitiria voltar para sua aldeia de origem, de onde foram tiradas dos braços de suas mães. Na jornada, elas são perseguidas pelos homens do terrível governador A. O. Neville, o qual não admite que as meninas não estejam de acordo com o ditado pela sabedoria branca e cristã.

Título original:
Rabbit-proof fence

Gênero: drama

Origem/ Ano: Austrália/ 2002

Duração: 94 min.


Direção: Phillip Noyce

Filme: "Quase Deuses"


QUASE DEUSES - O titulo original é "Something the lord made", a história real de Viven Thomas foi produzido em 2004 pela HBO, foi indicado ao Globo de Ouro como melhor minissérie ou filme feitos para a tv e rendeu uma indicação ao ator Mos Def. Levou o Emmy de melhor filme para a tv. É o tipo de filme que passa completamente despercebido se você não arriscar a ler a sinopse. Mos Def e Alan Rickman, interpretam a história real de Viven Thomas e Alfred Blalock, responsáveis pela primeira cirurgia feita no coração - antes disso o órgão era visto como algo intocável pela medicina - que corrigia um erro de percurso numa das veias do coração que ocasionava problema de oxigenação no pulmão e a falência do individuo.

Estamos nos Estados Unidos, em plena década de 30, após a grande depressão americana. Vivien é negro, sonha em cursar uma faculdade, casar e se tornar médico. Alfred é um médico ambicioso, com certo reconhecimento na profissão, que testa em animais, técnicas para poder fazer a diferença e se sobressair perante os outros pesquisadores da área médica. O primeiro é um jovem carpinteiro e negro que vai trabalhar como ajudante no laboratório do segundo.
Sim, o conflito racial está implícito, não foi escancarado pelo roteiro, embora seja está a razão primordial do filme. Mostrar que a ignorância e o preconceito racial, pode ter castrado bons profissionais que fariam diferença, caso tivessem tido uma chance. Os militantes que lutam em prol pelas cotas de negros na universidade, terá em mãos - caso alugue o filme - um argumento incontestável. Só no estados unidos hoje é realizada 1.750.000 cirurgias cardíacas por ano. O filme soa ralentado e quadrado. A história poderia ter sido contada com mais ousadia e agilidade. Mais a falta de tais características não desmerece um filme que poderá levá-lo as lágrimas. Comprove.

Título Original: Something the Lord Made
Gênero: Drama
Duração: 110 min.
Ano: EUA - 2004
Distribuição: HBO
Direção: Joseph Sargent
Roteiro: Robert Caswell e Peter Silverman

Adquira pelo território preto também.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Quem é o negro Joel Zito Araújo?


Cineasta e pesquisador mineiro, da cidade de Nanuque, é doutor em Ciências da comunicação pela Escola de Comunicações e Arte da Universidade de São Paulo – ECA/USP e fez pós-doutorado no departamento de rádio, TV e cinema e no departamento de antropologia da University of Texas, em Austin, nos Estados Unidos. Nascido em 1954, dirigiu documentários de curta e média-metragem tematizando o negro na sociedade brasileira, dentre os quais destacam-se São Paulo abraça Mandela (1991), Retrato em preto e branco (1993), Ondas brancas nas pupilas pretas (1995) e A exceção e a regra (1997). Em 1999, finalizou seu primeiro longa, o documentário O efêmero estado União de Jeová, sobre Udelino de Matos, um homem que, nos anos 1950, tentou formar um estado camponês com a população de maioria negra no norte do Espírito Santo. Dois anos depois, lançou A negação do Brasil, sobre a trajetória do personagem negro nas novelas brasileiras, com impressionante trabalho de pesquisa que deu origem a um livro homônimo. Foi escolhido melhor filme brasileiro do É Tudo Verdade daquele ano, tendo sido também selecionado pra vários festivais pelo mundo, entre eles o festival de cinema latino de Madri e o festival de documentários do Porto. Em 2004, finalizou seu primeiro longa-metragem de ficção, Filhas do vento, que ganhou oito prêmio no festival de Gramado, entre eles: melhor filme segundo a crítica, melhor diretor, ator e atriz. Na mostra de cinema de Tiradentes, foi escolhido melhor filme pelo público e participou ainda de festivais na Índia, na França, na África do Sul e em Camarões.

Vida e obras de Spike Lee


Ícone do cinema negro americano, Spike sempre abordou a temática racial abrindo as portas em Hollywood para uma conscientização sobre os problemas sociais do país. Além de diretor, produtor e roteirista, ele seguidamente atua em seus próprios filmes. Nascido em 20 de março de 1957 em Atlanta, sul dos E.U.A, em uma época marcada pelo preconceito racial, mudou-se com sua família, quando tinha três anos, para o Brooklyn, onde adquiriu toda a sua consciência social.
Por um de seus primeiros filmes, “Joe's Bed-Stuy, Barbershop: We Cut Heads”, um projeto de graduação, já fora premiado em alguns festivais, três anos depois de rebater o racismo de “O Nascimento de uma Nação” com o curta “The Answer”(1980), de dez minutos. Depois disso, sem conseguir produzir o longa “Messenger”, foi financiado por sua avó, que também havia pago seus estudos na Universidade Morehouse, e fez She's Gotta Have It(1986), onde ele mesmo atuava como um dos três amantes de uma mulher.
Em 1989, com “Do the Right Thing”(Faça a Coisa Certa), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar por melhor roteiro original, consegue reproduzir com maior fidelidade a sua visão do cotidiano das minorias. Cansado da maneira estereotipada que seu povo sempre fora retratado nas telas, Lee tem, normalmente, como tema o racismo, porém, trabalha diferentemente de tudo o que se viu até então, ao mostrar toda a complexidade dos guetos norte-americanos, não apenas os negros, mas os latinos, orientais, mestiços, etc, ele destrói maniqueísmos criados em torno desses temas, mostrando como essas etnias também sabem ser preconceituosas e intolerantes.
Em 1990, com “Mo’ Better Blues”(Mais e Melhores Blues), uma história mais voltada para o Jazz, tentando recuperar este movimento cultural, decepciona alguns fãs que esperavam algo mais ousado e com uma denúncia mais pesada, porém vem a se recuperar um ano depois com “Jungle Fever”(Febre da Selva), que trata de relacionamentos inter-raciais. Ainda dirigiu a cinebiografia “Malcolm X” sobre líder negro americano dos anos 60. Provou também toda sua versatilidade em “Croocklyn”( Crooklyn – Uma Família de Pernas pro Ar), em 1994, uma comédia leve escrita em parceria com seu irmão, e em “Clockers”( Irmãos de Sangue), em 1995. Foi quando começou a perder seu foco inicial social e político, sendo muitas vezes criticado por isso. No entanto, novamente mostrando que é versátil, é indicado, em 1998, pela segunda vez ao Oscar pelo documentário “4 Little Girls” (1997). Nos últimos anos, começa então a fazer mais de um filme por ano, em um desses, “25th Hour”(A Última Noite), de 2002, onde um traficante tem sua última noite livre, antes de ir pra prisão no dia seguinte, para consertar seus erros, chega a violar um pouco as regras que ele próprio construiu em sua carreira.


Ainda muito jovem, o produtor se mudou para Brooklyn, Nova Iorque.
Seu pai era um músico do Jazz e sua mãe uma professora.
Estudou no Colégio Morehouse, em Atlanta, onde desenvolveu suas habilidades de filmagem. Depois de se formar, foi para a escola de Artes Tisch School, e se graduou em progamação de filmagem.
Produziu um curta muito controverso chamado de 10 minutos.
Em 1986, Spike Lee fez o filme Ela Quer Tudo ( She's Gotta Have It), uma comédia sobre relações sexuais. A produção do filme custou 175.000 dolares, e faturou 7.000.000. A partir de então, Spike se tornou conhecido e famoso.



FILMOGRAFIA:

2006 - O plano perfeito (Inside man)
2005 - Crianças invisíveis (All the invisible children)
2005 - Jesus children of America
2005 - Miracle's boys (TV)
2004 - Sucker Free City (TV)
2004 - Elas me odeiam, mas me querem (She hate me)
2002 - A última noite (25th hour)
2002 - Ten minutes older: The trumpet
2002 - Jim Brown all American
2001 - Come rain or come shine
2001 - The Concert for New York City (TV)
2001 - A Huey P. Newton Story (TV)
2000 - A hora do show (Bamboozled)
2000 - The Original Kings of Comedy
1999 - O verão de Sam (Summer of Sam)
1998 - Freak (TV)
1998 - Jogada Decisiva (He Got Game)
1997 - 4 Little Girls (Documentário)
1996 - Todos a bordo (Get on the Bus)
1996 - The fine art of separating people from their money
1996 - Garota 6 (Girl 6)
1995 - Lumière et Compagnie
1995 - Irmãos de sangue (Clockers)
1994 - Crooklyn - Uma família de pernas pro ar (Crooklyn)
1992 - Malcolm X (filme)
1991 - Febre da selva (Jungle Fever)
1990 - Mais e melhores blues (Mo' Better Blues)
1989 - Faça a coisa certa (Do the Right Thing)
1988 - Lute pela coisa certa (School Daze)
1986 - Ela quer tudo (She's Gotta Have It)
1983 - Joe's Bed-Stuy Barbershop: We Cut Heads
1981 - Sarah (filme)
1980 - The answer
1977 - Last hustle in Brooklyn

Filme: "Mississipi em chamas"


Sem o filme "Mississipi em Chamas" ("Mississippi Burning"), do diretor britânico Alan Parker, poucos se recordariam hoje da morte de três ativistas dos direitos civis no sul segregacionista dos Estados Unidos, em junho de 1964. Nesta terça-feira, 41 anos depois dos fatos, um ex-integrante da Ku Klux Klan (KKK) do Mississippi, Edgar Ray Killen, de 80 anos, foi declarado culpado pelo assassinato destes três jovens por um tribunal da Filadélfia (Mississipi, sul dos EUA).Convencido de que o cinema tem verdadeiramente um papel político a desempenhar, Parker filmou "Mississippi em Chamas" em 1988. O filme conta a história trágica de três ativistas dos direitos civis assassinados durante o "Verão da Liberdade" de 1964, quando centenas de jovens militantes chegavam ao sul segregacionista para ajudar os negros a se registrarem nas listas eleitorais.O filme mostra, particularmente, a investigação de dois agentes do FBI (polícia federal americana), que utilizaram métodos diferentes para desmascarar os autores desse crime racista. Oriundo do sul, Rupert Anderson, interpretado de forma marcante por Gene Hackman, mostrava suavidade, enquanto Alan Ward (William Dafoe), vindo do norte, dava socos na mesa. A astúcia de Anderson e a perseverança de Ward puseram um fim à lei do silêncio e ao medo que imperava no sul.Rodado em apenas dois meses e meio no Alabama (sul), o filme recebeu sete indicações ao Oscar, entre elas a de melhor diretor, e conquistou o de melhor fotografia.Parker recebeu também o prêmio D.W. Griffith do National Board of Review pela direção. "Mississippi em Chamas" recebeu outros três prêmios da Academia Britânica (com um total de cinco indicações) e o Urso de Prata do Festival de Berlim.

Disponível pelo Território Preto no valor de R$ 5.